PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO: COMO CALCULAR NA SUA EMPRESA

  28/04/2017 - Por : - Prazo Médio de Pagamento: como calcular na sua empresa

Como empreendedor você precisa lidar com contas a pagar e a receber.

O gerenciamento desses valores é imprescindível para o sucesso financeiro da sua empresa.

Nesse cenário aparece o Prazo Médio de Pagamento (PMP), índice que vai ajudar a equilibrar o saldo de caixa.

Controlar o PMP é uma maneira de melhorar as finanças, já que geralmente o pagamento das contas possuem certo prazo, que é determinado e acordado entre a sua empresa e o fornecedor.

É por isso que você precisa compreender esse indicador e saber calculá-lo. No post de hoje nós vamos mostrar como fazer isso.

Quer entender melhor? Acompanhe!

O que é o Prazo Médio de Pagamento?

É o período médio entre a data que determinada compra foi realizada e o pagamento efetivo dela. Esse tempo é delimitado em dias.

Com esse índice é possível mensurar e identificar em quantos dias a empresa paga suas duplicatas, o que permite equilibrar melhor o fluxo de caixa e compreender a necessidade de capital de giro.

O PMP também tem relação direta com a negociação feita entre empresa e fornecedor e as condições de crédito conseguidas pela sua companhia.

Por exemplo: você adquire matérias-primas e paga o fornecedor em 2 vezes, mais precisamente 1+ 1.

Nesse caso o PMP é de 50% à vista e o restante em 30 dias.

Qual a importância de conhecer o Prazo Médio de Pagamento?

A boa gestão financeira da empresa depende diretamente do conhecimento do PMP.

Ele está ao prazo médio de recebimento (PMR), que é o tempo que a empresa leva para receber o dinheiro de seus fornecedores.

Essa comparação evita que sua empresa fique com um saldo de caixa negativo, ou seja, que necessita de aporte por parte dos sócios ou de empréstimos bancários.

Com isso você não precisa pagar juros e compreende melhor o capital de giro necessário.

A Necessidade de Capital de Giro (NCG), por sua vez, é o valor mínimo que se deve ter em caixa para assegurar que a operação diária da sua empresa não precisa parar por falta de recursos financeiros.

Quando esse índice está positivo há um superávit, o que significa que há dinheiro suficiente em caixa.

Esse valor pode, inclusive, ser investido em ativos operacionais ou aplicações financeiras.

Se o NCG estiver negativo há um déficit.

Isso indica que parte do capital de giro é proveniente de recursos de terceiros, o que enseja o pagamento de juros e apresenta um quadro de risco relacionado ao negócio.

Como calcular o PMP?

A sua empresa pode contar com diferentes prazos de pagamento, mas de modo geral é melhor ter um PMP longo, porque isso permite que o negócio tenha um fôlego maior para vender, compor o caixa e, então, quitar os compromissos com os fornecedores.

A fórmula do PMP é: (fornecedores / compras) x 360.

Para obter o valor das compras é preciso utilizar outra fórmula, que é a do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV). O cálculo desse índice é feito da seguinte forma:

CMV = estoque inicial + compras – estoque final

Isolando o item compras, chegamos à seguinte fórmula:

Compras = CMV – estoque inicial + estoque final

Aliando as duas fórmulas podemos chegar ao resultado desejado. Para entender melhor vejamos o exemplo a seguir.

Sua empresa quer calcular o PMP e conta com os seguintes dados: CMV de R$ 1.344, estoque inicial de R$ 393 e estoque final de R$ 422.

O pagamento aos fornecedores é de R$ 344.

Primeiro devemos calcular o resultado das compras:

Compras = 1.344 – 393 + 422

Compras = 1.373

Com esse resultado podemos calcular o PMP:

PMP = 344 / 1.373 x 360

PMP = 90 dias.

É importante destacar que esse cálculo deve ser realizado mensalmente para que a empresa tenha um controle efetivo da sua situação financeira.

Além dessa fórmula principal existe outro método para calcular o PMP.

A fórmula é: (dívidas com fornecedores / valor das compras brutas) x 360.

Vale a pena destacar que a forma de calcular é igual à que já foi apresentada.

Entendeu porque você precisa compreender e calcular o Prazo Médio de Pagamento?

Aproveite as dicas que passamos e comece a fazer um acompanhamento mais próximo.

Para acessar outros conteúdos especializados como esse assine a nossa newsletter.

Avalie esse Post