SUPPLY CHAIN: O QUE É E QUAIS ÁREAS ABRANGE

  27/02/2019 - Por : -

A Supply Chain é um assunto bastante abordado dentro da Administração. Na microeconomia o gerenciamento da empresa só é eficiente com a alocação correta de recursos.

Muitos empreendedores focam no processo final de vendas e não percebem porque seus objetivos não são alcançados. Uma estratégia eficiente permeia por todo o sistema produtivo.

Com novas tecnologias e ferramentas todos os setores da empresa passaram a se conectar de uma maneira bastante benéfica. E alguns termos surgiram com o passar dos anos, este é o caso do Supply Chain.

De maneira simplista a tradução deste termo é: Cadeia de Suprimentos.

Saiba mais: 7 ESTRATÉGIAS PARA OTIMIZAR A CADEIA DE SUPRIMENTOS.

Mas o que isso realmente significa?

Neste artigo você vai saber como funciona a Supply Chain, como surgiu o termo, o que ela representa dentro de uma empresa e os benefícios de uma boa gestão.

Vamos lá?

Boa leitura!

O que é Supply Chain?

Supply Chain é a expressão em inglês para cadeia de suprimentos, para muitos estudiosos também considerada cadeia logística. Mas vamos abordar essa questão mais para frente.

Esse conceito envolve desde a fabricação até a entrega do produto ao cliente final. Por abranger diversas etapas, é importante entender melhor e reconhecer a importância desse processo.

Você já viu o que essas palavras significam, mas precisa compreender também o que representa na prática.

A cadeia de suprimentos é composta por diferentes fases, que variam de acordo com o produto.

Leia mais: INTERNET DAS COISAS E CADEIA DE SUPRIMENTOS: QUAL A RELAÇÃO E AS TENDÊNCIAS PARA 2017?

Conforme a eficiência desse processo, o consumidor final pode ser impactado, tanto positivamente quanto negativamente.

É por isso que não podemos reduzir a logística à empresa que fabrica a mercadoria.

Um lojista, que apenas revende o produto, também é afetado e precisa conhecer quais são os aspectos envolvidos na produção, como o prazo de entrega, períodos de sazonalidade (em que há alta ou queda na demanda), formas de trabalho do fornecedor, etc.

No caso de uma empresa do segmento industrial, a administração da cadeia logística é bastante complexa, porque diferentes etapas acontecem.

Mesmo assim, é importante conhecer e monitorar o funcionamento de todo o processo, porque isso evita imprevistos que afetem o consumidor final.

Assim, a cadeia de suprimentos impacta diversas situações da vida social, profissional e pessoal.

Por exemplo: você já deve ter tido problemas ao receber um produto comprado pela internet ou deixou de ir a algum restaurante porque o item que queria estava em falta no menu.

Os erros acima são de responsabilidade da gestão da cadeia de suprimentos, ou Management Supply Chain.

O termo refere-se ao gerenciamento dos insumos, planejamento estratégico, serviços de informações e todos os combustíveis que fazem cada etapa do processo produtivo funcionar.

Cadeia de Suprimentos X Logística

Você vai notar que muitas vezes esses dois termos se interceptam e tantas outras que são considerados sinônimos. Mas existem estudos divergentes em relação a isso, alegando que existem diferenças entre a Supply Chain e Logistica.

Resumidamente a discussão gira em torno da aplicação de cada um destes termos. Diz que a Logística é voltada para integração dentro da empresa. Já a Cadeia de Suprimentos é relacionada a integração entre empresas (fornecedores, fabricantes, distribuidores, etc).

Ou seja, a Logística tem como responsabilidade o gerenciamento da compra de insumos, armazenamento e transportes. E a Supply Chain cuida da parte estratégica do processo.

Mas, quando usamos estes dois termos em conjunto temos a Logística Integrada.

O que é SCM?

Essa é uma das dúvidas mais pesquisadas a respeito de Supply Chain. Mas, a sua resposta é extremamente simples. A sigla SCM significa Supply Chain Management, traduzindo: Gerenciamento da Cadeia de Produção.

O SCM nada mais é do que a integração e o aperfeiçoamento do processo produtivo, desde as negociações, parcerias até a entrega do produto final ao cliente.

Para saber mais acesse nosso post: CADEIA DE SUPRIMENTOS : COMO GARANTIR O SUCESSO?

Como fazer a gestão da cadeia de suprimentos?

Quando falamos em cadeia de suprimentos, estamos pensando também em sua gestão. Esse gerenciamento tem, inclusive, um termo próprio e bastante conhecido: Supply Chain Management.

A finalidade é ter mais eficiência e eficácia para melhorar a vantagem competitiva da empresa.

Nesse momento, é importante destacar que a gestão da cadeia de suprimentos vai muito além da logística.

Enquanto esta refere-se à integração interna de atividades, aquela está relacionada à integração externa, que também leva em conta a coordenação dos fluxos de informações e materiais para consumidor final e fornecedores.

O objetivo da gestão de a cadeia de suprimentos é melhorar o rendimento em algumas atividades, como:

  • Planejamento e previsão do equilíbrio entre oferta e demanda;
  • Tempo dos ciclos de produção e dos inventários;
  • Busca por fornecedores de matérias-primas;
  • Fabricação da mercadoria;
  • Armazenamento da mercadoria;
  • Entrega;
  • Devolução da mercadoria pelo consumidor, se necessário;
  • Retorno pelo serviço de atendimento ao consumidor e identificação da necessidade de melhorias no processo.

Sem o gerenciamento as estratégias tornam-se precárias e ineficientes.

Quais áreas abrange?

Como destacamos, a cadeia de suprimentos abrange uma série de áreas. Afinal, envolve o armazenamento e o movimento da matéria-prima, os processos relacionados ao inventário e os produtos acabados.

E vale ressaltar que o processo vai desde a origem dos produtos até o local em que serão consumidos.

Podemos citar, então, como algumas etapas da cadeia de suprimentos:

  • Documentos;
  • Matérias-primas;
  • Informações;
  • Equipamentos;
  • Pessoas;
  • Insumos;
  • Organizações;
  • Meios de transporte.

Todos esses elementos são integrados na gestão da cadeia logística e o fluxo é eficaz para garantir que a organização obtenha o melhor resultado e ganhe competitividade.

A abrangência da gestão da cadeia de suprimentos, portanto, é relativa a 3 eixos:

  • Processos de negócios: assinalam o motivo pelo qual esse gerenciamento existe e sua finalidade;
  • Tecnologias, práticas, iniciativas e sistemas: indicam os modos inovadores e atuais que permitem a execução dos processos de negócios principais;
  • Organização e pessoas: envolve a estrutura da empresa e o treinamento institucional e de pessoas a fim de viabilizar a gestão da cadeia logística.

Esses eixos são interligados e são trabalhados de acordo com uma escala de evolução.

Isso exige a mensuração do desempenho de acordo com um tema estratégico.

Profissional de Supply Chain

Existem algumas dúvidas a respeito de quem chefia a cadeia de suprimentos. Nós chamamos de gerente de Supply Chain.

Este profissional é responsável por manter a estrutura de produção adequada para que o produto chegue ao consumidor da melhor forma possível. Portanto, é de competência do gerente de Supply Chain:

  • Rapidez do processo;
  • Entrega rápida e segura;
  • Atendimento assertivo da demanda;
  • Diminuir custos do processo;
  • Dentre outros.

Vale ressaltar que a preocupação de um bom gerente de Supply Chain deve abordar a qualidade do produto e a satisfação do cliente. Estes são as duas bases da cadeia de suprimentos.

Não faz sentindo criar estratégias de parcerias com fornecedores e deixar a qualidade do produto de lado. Assim como é ineficiente comprar ótimos produtos, mas atrasar a entrega para o consumidor final.

Benefícios da Gestão Correta de Supply Chain

Os termos gestão, gerenciamento e gerente são tão naturais do cotidiano de uma empresa que o seu aprimoramento acaba sendo deixado de lado. Mas ter profissionais especializados e estratégias com esta pauta podem trazer muitos benefícios.

Dentro da cadeia de suprimentos o gerenciamento é um dos principais fatores para garantir a eficiência.

Vamos ver alguns dos principais benefícios de gerenciamento correto do Supply Chain:

Profissionalização da produção

Uma cadeia de suprimentos desequilibrada pode prejudicar – e muito – a imagem da empresa, tanto para o cliente quanto para os fornecedores. Afinal, um gerenciamento correto garante entregas no prazo, estoque adequado e alocação correta.

Facilitando, portanto, a negociação e relação com os fornecedores. Além, é claro, de garantir a satisfação do cliente com a entrega.

Minimização dos custos operacionais

Quando falamos em cadeia de suprimentos este é um dos benefícios mais imediatos. Afinal, a alocação correta de recursos diminui as falhas, desperdícios e contabilização incorreta.

Além, é claro, de evitar ocupar espaços de armazenagem mais do que o necessário, perder insumos e deixar capital parado.

Essas garantias evitam gastos não planejados e também diminuem alguns custos próprios da produção.

Leia mais: GESTÃO DE SUPRIMENTOS: COMO REDUZIR CUSTOS E MELHORAR OS PROCESSOS DA SUA EMPRESA?

Maximização da Receita

Quando a empresa torna seu processo produtivo mais profissional e eficiente, naturalmente, os resultados refletem na etapa de vendas.

Sem contar que cabe ao gerente da Supply Chain buscar por fornecedores, serviços e produtos que tornem a cadeia de suprimentos ainda mais eficiente. Diminuir custos e maximizar os ganhos torna todo o processo produtivo mais lucrativo.

Controle

Este é um benefício natural de todo bom gerenciamento. Na cadeia de suprimentos não é diferente. Quando os processos passam a ser gerenciados por um profissional, todas as etapas, pedidos, quantidades e, principalmente, qualidade são controlados e verificados.

O que, naturalmente, ocasiona melhorias e otimiza a eficiência das estratégias.

Preocupação com o cliente

Nesta era da internet, com comentários, curtidas, notas e reclamações, o cliente passou de passivo para ativo no processo de compra. Afinal, se ele tiver uma boa experiência com a sua empresa torna-se, naturalmente, uma dispersão gratuita da sua marca.

Com a gestão da Supply Chain a preocupação com o cliente acontece de forma automática. Afinal, melhorar o gerenciamento da cadeia de suprimentos corrobora com a melhora da qualidade do produto, desde seus insumos até a entrega ao cliente.

Esses benefícios unidos deixam claro quão importante é o profissional de Supply Chain e o quanto investir nesta gestão sinaliza ao mercado profissionalismo e competitividade.

Veja também: EVOLUÇÃO DO RELACIONAMENTO CLIENTE E FORNECEDORES.

Conclusão

Assim, fica evidente que a Supply Chain não é só um conceito que você deve conhecer, mas, principalmente, colocar em prática na sua empresa para obter os melhores resultados.

Afinal, a cadeia de suprimentos age apenas no contato com fornecedores. O gerenciamento de Supply Chain se preocupa deste os insumos e serviços básicos até a entrega do produto final ao cliente.

Alocar os insumos corretamente evita desperdícios e gastos desnecessários tanto na armazenagem quanto na produção. Os gestores devem se atentar para a profissionalização das suas etapas.

E vale ressaltar que a cadeia de suprimentos e o seu gerenciamento são compatíveis com todos os portes de empresa. Mesmo aquelas que possuem informação e serviços como insumos.

Para entender mais, leia o post Supply chain management e logística, que vai assinalar mais detalhes e dar ideias para implantar na sua organização.

Avalie esse Post

SUPPLY CHAIN: O QUE É E QUAIS ÁREAS ABRANGE
4.6 (91.63%) 43 votes