AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS INDUSTRIAIS

  26/02/2019 - Por : -

A automação de processos industriais pode trazer quais benefícios para a sua empresa? Tornar os processos mais ágeis e automáticos é uma transição viável apenas para as grandes empresas?

Se você nos acompanha há algum tempo deve ter notado que a internet e tecnologia são dois itens indispensáveis para tornar o processo produtivo mais profissional, diminuir os custos e aumentar a produtividade.

Este é um assunto que se alastrou rapidamente na Europa e América do Norte. Demorou a chegar na América do Sul e encontrou diversos empecilhos e barreiras para se desenvolver.

Não é a toa que o Brasil está, segundo estudiosos, extremamente atrasado na transição entre a terceira e quarta Revolução Industrial. Alguns, inclusive, consideram que boa parte das indústrias brasileiras não inseriram às mudanças da Terceira Revolução.

Uma notícia bastante ruim para os empreendedores e gestores nacionais, certo?

Bom, se você tem mais visão do que seus concorrentes, as dificuldades podem ser bastante atrativas. Mas como?

O que você pode fazer para sair na frente nesta corrida?

Descubra neste artigo o que exatamente significa automação de processo, os seus benefícios, dificuldades e principais ferramentas.

Boa leitura!

O que é Automação de Processos

Antes de pensar em inserir novas tecnologias e ferramentas é necessário entender o que o termo automação de processos significa. Esta compreensão é fundamental para que os gestores consigam selecionar quais itens são viáveis e quais não.

A palavra automação não é destinada exclusivamente a processos industriais. Nos buscadores ela aparece como um termo geral, ligado a capacidade de automatizar produtos, ferramentas e processos.

Quando um gestor decide por montar estratégias que incluem a aplicação de técnicas e tecnologias na produção ele esta tentando automatizar os seus processos industriais.

Portanto, de maneira resumida automação de processos é a utilização de ferramentas tecnológicas para tornar as etapas de produção menos custosas, mais eficientes e produtivas.

História

Você lembra do filme Tempos Modernos com Charles Chaplin?

Este filme teve por objetivo retratar a transição entre a produção artesanal para a em série. Na qual operários deveriam obedecer ao tempo das máquinas e dar insumos para que elas funcionassem.

A produção deixou de ser unitária para se tornar em série, mais padronizada e ágil. A primeira e segunda revoluções industriais tinham por objetivo principal o aumento da produção, e, consequentemente, da lucratividade.

Sem se importar com as peças humanas da engrenagem.

A terceira e quarta revoluções trouxeram para a fórmula o meio ambiente, tendências e a nossa capacidade de inovação e estratégia. O surgimento da internet possibilitou que a equação fornecesse resultados quantitativos e qualitativos para as empresas e indústrias.

Além, é claro, de permitir que novas ferramentas sejam desenvolvidas com maior agilidade.

A automação de processos, portanto, é escalável e está sempre em movimento.

Se pudermos compactar a automação de processos, atualmente, teríamos o seguinte:

  • Meio Ambiente;
  • Máquinas;
  • Capacidade Humana;
  • Tecnologia.

Benefícios da Automação Industrial

Os objetivos da automação de processos industriais está diretamente ligada aos seus benefícios. O maior atrativo para as empresas é a promessa de que a automação possibilitará um corte de custos no processo produtivo.

Leia mais: 3 MOTIVOS PARA VOCÊ AUTOMATIZAR A GESTÃO DE CONTRATO.

Este é, de fato, um dos principais benefícios, e não apenas para as grandes empresas, mas também para as pequenas e médias.

Mas para uma transição de estratégias ser de fato viável é preciso entender quais são os benefícios diretos e indiretos e se, na prática, a sua empresa ganhará com isso.

Veja abaixo alguns dos principais benefícios da automação de processos:

Padronização

A padronização é uma peça bastante conhecida – e utilizada – pela indústria automobilista. Não é a toa que nome do mercado de automóveis estão sempre ligados a aplicação eficiente da padronização e produção em escala – Fordismo e Toyotismo.

Ferramentas que possibilitam a fabricação de produtos, insumos e matéria-prima em larga escala e com as mesmas características tornaram os processos mais profissionais.

Afinal, era possível descrever o que esta sendo ofertado antes da produção e garantir para o cliente que determinado produto seria entrega conforme a oferta.

A padronização permite que uma mesma empresa consiga variar pequenos detalhes nos seus produtos e, consequentemente, aumentar seu catálogo.

Queda na incidência de falhas

O investimento na capacitação de profissionais é considerado, há algum tempo, como um dos melhores combustíveis para a eficiência de processos. Mas, na prática, não é algo que as empresas estejam de fato prestando atenção.

O índice de falhas humanas é, portanto, extremamente alto. Seja no preenchimento de dados, cálculos, análise de indicadores e prospecção de resultados.

A automação de processo consegue minimizar grande parte destas falhas. Principalmente aquelas ocasionadas por atividades mecânicas e repetitivas. Isso não quer dizer que o investimento em capacitação possa ficar em segundo plano.

Muito pelo contrário, a automação de processo demanda maior profissionalização por parte da equipe, gestores e administradores.

Redução de Perdas

Este beneficio esta ligado diretamente com o anterior, quanto menores forem as falhas durante o processo menores serão as perdas, tanto de material quanto de capital.

É importante citar também que uma das ferramentas da automação, a simulação, permite que os insumos sejam alocados corretamente em todas as fases de produção. O que naturalmente reduz perdas e diminui a dependência de um grande estoque.

Aumento de Eficiência

Quando falamos de eficiência queremos dizer que todas as engrenagens da produção funcionam na totalidade do seu potencial, incluindo equipe, insumos, ferramentas e capital.

Com a automação de processos é possível produzir mais contando com a mesma estrutura. Afinal, os desvios, gastos e desperdícios são minimizados com as ferramentadas otimizadoras.

Maior Produtividade

A automação de processo possibilita que diversas atividades operadas por pessoas sejam realizadas por máquinas e ferramentas. Naturalmente, o processo de produção tem menos interrupções.

Afinal, máquinas não precisam se ausentar, parar para atender chamados internos e externos, adoecem ou cansam. É claro, que temos o período para manutenção e configuração, mas nem se compara aos hiatos de produção pré-automação.

Isso quer dizer que o processo produtivo torna-se mais rápido e ininterrupto. A consequência direta deste fato é o aumento da produtividade.

Previsão de demandas

Muitas ferramentas de automação não apenas agilizam e facilitam processos como também armazenam dados e fornecem indicadores para produções futuras. Desta forma é possível traçar previsões referentes às demandas futuras.

Essa antecipação também corrobora para estoques cada vez mais otimizados e menos desperdícios com produtos vencidos ou não utilizados na produção.

Sem contar na satisfação do cliente. Afinal, a previsão de demandas permite que as empresas prometam prazos de entrega menores. Evitam – ou minimizam – atrasos e a insatisfação dos clientes.

Esse beneficio acaba possibilitando outros tantos como:

  • Fidelização de clientes;
  • Comunicação positiva com clientes e fornecedores;
  • Melhores avaliações em sites, redes e mídias sociais.

Veja também: 6 DICAS PARA SUA EMPRESA FAZER O ACOMPANHAMENTO DE PRAZO DE ENTREGAS.

Integração entre Setores

A era na qual os setores da empresa trabalhavam de forma independente e com pouca – ou nenhuma – comunicação acabou. Os benefícios da integração ficaram claros com o passar do tempo.

A ideia de que cada um deve, única e exclusivamente, especializar-se nas suas tarefas perde em eficiência e resultados.

Afinal, estamos em um momento industrial que as informações, dados e indicadores são combustíveis necessários para atingir o máximo potencial das ferramentas de automação de processos.

Ao integrar a equipe de marketing com o financeiro é possível construir estratégias que tenham menores custos e maior alcance. A troca de informações entre a equipe de compras e vendas evita desperdícios e estoque parado.

Outro fator que deve ser levado em consideração é que toda a equipe passa a corroborar claramente com os objetivos, valores e metas da empresa como um todo.

Além, é claro, de agilizar processos, minimizar ruídos e ter um armazenamento em rede.

Melhor comunicação interna e externa

Este beneficio é, em parte, resultado da integração entre setores. Afinal, a comunicação interna é facilitada com sistemas de ERP, por exemplo. A internet, na automação de processos, possibilitou a troca em tempo real.

Leia mais: INTEGRAÇÃO ENTRE O ERP E A AUTOMAÇÃO DE COMPRAS: POR QUE APLICAR NA SUA EMPRESA?

Isso quer dizer que os resultados – e os problemas – são comunicados no momento em que ocorrerem. O que, naturalmente, permite respostas, soluções e análises mais rápidas e eficientes.

Além da comunicação interna, a automação melhora o diálogo externo, tanto com fornecedores quanto com clientes e empresas parceiras.

Afinal, dentro da Indústria 4.0, por exemplo, existem ferramentas que automatizam o setor de compras com sistemas de armazenagem, memória de compras, simulações.

Desta maneira, os pedidos ocorrem de forma autônoma, ágil e com facilitadores de negociação.

A automação de processos, como um todo, também sinaliza aos parceiros e clientes que a empresa se preocupa com a profissionalização e atualização dos seus mecanismos. Prazos menores e respostas aos problemas também contam no processo de fidelização.

Como Automatizar Processos

Cada empresa possui o seu cronograma de transição, a ideia deste tópico não é montar um passo a passo personalizado. E sim, as principais etapas que é preciso passar para a automatização de processos industriais no geral.

Passo 1 – Identificar os processos produtivos

A ideia do primeiro passo é tornar visual todas as etapas existentes no seu processo produtivo. Quando você conseguir identificar todas as etapas ficará mais fácil compará-las.

A automação de processo pode representar um alto investimento para muitas empresas. O objetivo do passo um é analisar quais etapas possuem maiores custos e falhas e quais podem ter maior eficiência com a automação de processos.

Passo 2 – Definir prioridades

Ordene as etapas por relevância, use os itens a baixo para nortear essa ordenação:

  • Quais processos representam maiores custos na balança?
  • Em quais deles a incidência de falhas é maior ou mais onerosa?
  • A possibilidade de crescimento é maior em quais deles?
  • O impacto na produção é maior na transição de qual processo.

Ter o suporte e análise dos gestores de cada etapa é fundamental neste passo. Outra dica valiosa é montar um fluxograma do processo produtivo, desta forma nenhuma etapa é esquecida ou subvalorizada.

Passo 3 – Analisar indicadores e resultados.

O passo número 2 pode ser influenciado por preferências de setores ou gestores. Para garantir que você não faça um investimento equivocado é preciso analisar os resultados e indicadores do seu histórico de produção.

Neste passo é possível identificar gargalos e etapas que demandam muito pessoal e tempo. São essas que devem ter a sua atenção em relação à prioridade de automação.

Passo 4 – Analisar e implementar as ferramentas de automação mais adequadas.

O último passo é elencar quais ferramentas estão dentro do seu orçamento e analisar seus ganhos reais. Essa análise deve comparar setores iguais em empresas do mesmo ramo, para minimizar possíveis vieses.

A implementação é um processo, e não apenas uma etapa. Procure profissionais terceirizados para tornar o passo quatro mais profissional.

Mas quais as principais vertentes de ferramentas de automação de processos industriais?

Ferramentas de Automação

A automação de processos é um dos pilares da Indústria 4.0. Isso quer dizer que a maioria das ferramentas que consideramos da 4.ª Revolução também possuem as funções de automação de processos.

Veja mais sobre este tema nos artigos abaixo:

  • Texto sobre a Indústria 4.0
  • Texto sobre as ferramentas da indústria 4.0

Neste tópico vamos abordar algumas das principais ferramentas. Lembrando que a ideia é direcionar o gestor para quais ferramentas ele deve pesquisar. Todas elas são oferecidas por mais de uma empresa.

O ideal é encontrar aquelas que caibam no orçamento e atendam a demanda do porte da sua empresa.

Armazenamento em Nuvem

A comunicação, ou integração, em tempo real ganha um facilitador com o armazenamento em nuvem. Essa ferramenta aposenta parcialmente os armazenamentos em HD externo.

Parcialmente, porque eles ainda são usados como backup por muitas empresas. A ideia do armazenamento em nuvem é possibilitar o compartilhamento real.

Isso quer dizer que as pessoas, equipes ou setores, que possuam o acesso a este armazenamento, podem acessar às informações adquiridas e armazenadas no momento em que são coletadas.

Isso, claramente, facilita a comunicação e agiliza os processos. Tal como é a ideia principal da automação de processos industriais.

E-procurement

Se você segue a IBID a algum tempo já deve ter lido sobre essa ferramenta de automação. Resumidamente o e-procurement é uma plataforma online que facilita para os compradores a busca por fornecedores.

Esta é uma ferramenta bastante importante para o setor de compras. Afinal, esta é uma das áreas que pode acumular mais tarefas mecânicas que demandam tempo e equipe, como produção de planilhas, controle de pedidos, emails, etc.

A ideia do e-procurement é condensar essas funções manuais em uma plataforma automatizada.

Leia mais: E-PROCUREMENT: VEJA COMO ELE PODE TRANSFORMAR A ÁREA DE COMPRAS.

Software de gestão de estoque

A gestão na falha de estoque é um gasto presente nas empresas dos mais diversos portes. Este problema se dá tanto pela falta quanto pelo excesso, afinal uma previsão equivocada da demanda pode atrasar a entrega.

Mas, um estoque maior do que o necessário é um capital parado sem necessidade, correto?

Ferramentas de automação de processos que façam a gestão de estoque podem trabalhar, portanto, nestas duas frentes. De maneira a evitar um investimento parado sem retorno e também o cumprimento de prazos e a satisfação dos clientes finais.

Internet das Coisas

A Internet das Coisas torna objetos que não possuem autonomia (máquinas, carros, etc) em objetos inteligentes, ou com poder de decisões. A programação possibilitou que itens “inanimados” pudessem ter mais autonomia.

Por exemplo, hoje é possível programar máquinas que definam densidade, volume, quantidade, freiam ou aceleram baseadas em fórmulas programadas.

Dificuldades

As revoluções possuem grandes dificuldades logo que ocorrem e, com o tempo, soluções aparecem para tornar o processo mais simples.

A automação de processos industriais ainda é recente no Brasil, e algumas dificuldades tornam a transição mais lenta do que o desejado, veja abaixo algumas das dificuldades do processo de automação industrial:

Custos

Muitas ferramentas de automação de processos são importadas, isso, naturalmente, aumenta os custos de aquisição. Principalmente àquelas com grandes inovações e que utilizam tecnologia de ponta. Como é o caso da robótica e simuladores.

A tendência é que novas tecnologias nacionais sejam desenvolvidas com menores preços. Afinal, a automação de processos faz parte do cotidiano de países desenvolvidos como os EUA e Alemanha, mas ainda é muito recente para os subdesenvolvidos ou em crescimento.

Vale ressaltar, entretanto, que existem ferramentas, processos e rotinas com custos menores, como o e-procurement.

Saiba mais em: E-PROCUREMENT: VEJA COMO ELE PODE TRANSFORMAR A ÁREA DE COMPRAS.

Baixo investimento em P&D

O Brasil não é um país conhecido pelo alto investimento em pesquisa e desenvolvimento. Existe um histórico bastante enraizado de fornecimento (exportação) de insumos e matéria-prima e compra (importação) de produtos manufaturados.

Isso quer dizer que a produção interna – nacional – recebe menos investimento do que de fato o país precisa. O que, naturalmente, desestimula a criação e o desenvolvimento de novas tecnologias.

A automação de processos industriais, no entanto, precisa deste investimento, seja em cursos, graduações, possibilidades para formandos ou subsidio ao acesso às tecnologias existentes.

Afinal, quanto mais forte e desenvolvida for a indústria nacional menos dependência estrangeira teremos.

Profissionais Capacitados

A dificuldade anterior reflete nesta, afinal pouco investimento dificulta a produção de profissionais capacitados. E, a automação de processos procura por ferramentas de ponta, mais eficiente e, por consequência, mais complexas.

O que, claramente, demanda mais conhecimento e aperfeiçoamento de toda a equipe. Uma saída para essa questão é que os próprios empreendedores e industriais incentivem a sua equipe a se capacitar.

Seja financeiramente, ou com cursos, palestras e workshops internos.

Conclusão

Pronto para ter mais competitividade e lucratividade?

A automação de processos industriais não é apenas mais uma tendência ou fase. Ela faz, definitivamente, parte de uma Revolução extremamente vantajosa para a indústria. Automatizar nada mais é que tornar automática funções manuais.

Esse processo, portanto, torna o tempo de produção mais conciso, sem desvios ou paradas, naturais de processos manuais.

A equipe também tem suas funções automatizadas, deixam de fazer atividades repetitivas e mecânicas para focar em controle, análise e estratégia.

Depois de ler este artigo o que você pode implementar hoje na sua empresa? Deixe nos comentários o que funcionou e o que você quer implementar em 2019.

Avalie esse Post

AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS INDUSTRIAIS
4.6 (91.33%) 30 votes