É POSSÍVEL IMPORTAR DA CHINA LEGALMENTE?

  21/08/2017 - Por : - possível importar da China legalmente

Se você também tem essa dúvida sobre importar da China legalmente, você está no lugar certo!

O negócio da China muitas vezes é atrativo devido aos seus baixos preços de aquisição de mercadorias e também de operação, valores estes que podem fazer com que os lucros de atuação no Brasil possam ser altos e benéficos para o empreendedor e seus negócios.

A compra na China também pode ser atrativa para o uso pessoal, pois mesmo com todos os fatores de possíveis taxações os valores podem ser menores do que a compra do mesmo produto em território brasileiro.

Uma questão que fica no ar é: é possível importar da China legalmente?

Os valores são tão baixos que algo parece estar fora de sintonia e isso acaba gerando desconfiança no investimento de produtos chineses.

Porém, fazer transações internacionais é algo seguro e deve sempre deve ser feito de forma legal.

A importação deve ser feita de forma legal

Seja para o uso pessoal de certa mercadoria ou então para a revenda, em ambos os casos a importação deve ser feita legalmente perante a lei brasileira.

A mercadoria deve conter nota fiscal e geralmente quem a emite é a própria empresa importadora ou que tem licença para importar.

Todos os tramites para que o produto seja nacionalizado acontecem assim que ele chega em território brasileiro.

É comum ver que as encomendas da China demoram muito tempo, chegando a períodos de mais de 2 meses.

Isso não ocorre devido à distância entre os países, mas sim por causa da burocracia existente no Brasil.

Cerca de 20 a 40 dias da demora é referente ao processo de nacionalização, este que serve para legalizar e taxas (se necessário) os produtos que vem do exterior, incluindo os de origem chinesa.

No caso de produtos para uso pessoal

Para legalizar um produto para uso pessoal, o consumidor não precisa mover um único músculo. Todo o processo é feito pela importadora, como é o caso da geração de nota fiscal.

A única coisa que o comprador precisa fazer é pagar os tributos caso isso seja necessário, afinal muitas pessoas físicas não têm produtos que passam pela taxação da Receita Federal.

Ainda sobre as taxas, é preciso estar atento a algumas regras de importação.

O tipo de produto pode influenciar a taxação ou não sobre a mercadoria importada. Eletrônicos, por exemplo, são muito visados no processo de nacionalização.

Importação para revenda

A importação para a revenda de produtos tende a ser feita em grandes quantidades, isso gera necessariamente um imbróglio que pode interferir nos valores finais da compra.

Pessoas físicas que fazem a compra no mercado chinês não podem passar dos gastos de U$ 500.

Dessa forma o processo é completamente diferente e requer uma série de documentos para saber quais são as intenções da importação.

No caso de pessoas jurídicas, todos os produtos serão taxas. O empreendedor nesse caso deve estar atento as leis vigentes e aplicadas pela Receita Federal.

Erros na documentação exigida e falta da nota fiscal podem tornar as mercadorias em itens ilegais, não podendo serem vendidas no mercado brasileiro.

Avalie esse Post